domingo, 8 de fevereiro de 2009

Momento nostalgia: Dirty Pretty Things


Como todos sabem, ou deveriam saber, depois que uma das maiores bandas do novo milênio - o Libertines - acabou, seus integrantes se dividiram em duas novas bandas: Pete Doherty criou o Babyshambles e Carl Barât se juntou com ex-colegas de Libs e outros amigos para criar a banda que é assunto deste tópico: o Dirty Pretty Things.

O DPT é aquele negócio básico: baixo, guitarra, bateria e a pegada punk que já caracterizava o Libertines. O som agrada especialmente quem já era fã de Doherty/Barât antes ou a quem é fã de bandas das antigas como o Clash (como é o caso deste que vos fala). Aliás, tem faixas que vão muito além de lembrar a trupe de Joe Strummer, parecem saídas diretamente de um álbum do Clash, tipo um London Calling revisited.

Lançaram dois cd's; o primeiro "Waterloo to Anywhere", alcançou posição de destaque nas paradas inglesas, assim como seus singles "Bang Bang You're Dead", "Deadwood" e "Wondering" que fizeram considerável sucesso na terra da rainha. Já o segundo, batizado de "Romance At Short Notice", não fez tanto sucesso, mas manteve a mesma linha e igualmente apresentou canções de qualidade.

A história acabou de maneira repentina, em meados de 2008, quando Barât, em comunicado oficial, anunciou o fim da banda. Ficam, então, os dois belos trabalhos lançados por essa bela banda que, infelizmente, por razões que nunca entenderemos, teve fim de maneira abrupta.


Waterloo To Anywhere
Romance At Short Notice
Dirty Pretty Things ao vivo no Jools Holland:

2 comentários:

Bliss disse...

Conheço o Babyshambles, vou baixar Dirty Pretty Things pra conhecer também. (:

hnegrini disse...

baixe. eu até prefiro dpt. =)